Dia a dia do varejo

Curva ABC: o que é e como usá-la no seu negócio!

A Curva ABC é uma das técnicas mais utilizadas no mundo, quando o objetivo é controlar e organizar os estoques. Logicamente, essa técnica acaba sendo muito importante no mundo do ecommerce. Afinal, os estoques são importantes para qualquer tipo de comércio.

Por se tratar de uma técnica aparentemente complexa, muitos empreendedores sentem dificuldades em aplicá-la. Aliás, muitos empreendedores não conseguem sequer verificar as vantagens da aplicação.

Felizmente, este post tratará de lhe explicar tudo que há para saber sobre a Curva ABC. Isso mesmo! Basta acompanhar até o fim para entender o que é a técnica e como utilizá-la em prol do seu negócio. Então, sem mais delongas, vamos começar?

O que é a Curva ABC?

A Curva ABC é uma técnica utilizada em todo o mundo para organizar e controlar os estoques. A metodologia se resume a uma classificação dos itens do estoque em função de graus de importância.

Essa classificação dos níveis de importância é feita com base em diversos valores, como os preços de custo ou os preços de venda. Enfim, de modo geral, a técnica ajuda organizar o seu estoque e, por consequência, controlá-lo melhor.

Sim, a princípio, a explicação pode parecer um tanto quanto vaga, mas basta avançarmos para um explicação prática, que tudo ficará muito claro…

O funcionamento da Curva ABC…

Seja qual for o segmento da sua empresa, controlar o estoque e organizá-lo é essencial. E sim, é nesse ponto que a Curva ABC surge com força.

De modo geral, a técnica classifica os seus produtos em função de determinados pontos. Geralmente, temos as seguintes classificações:

  • Curva A: produtos que trazem maior retorno para a empresa;
  • Curva B: produtos de valor e retorno médios;
  • Curva C: produtos de valor e retorno baixos.

Com base nessa categorização, seu estoque passa a ser organizado para atender às demandas que mais geram resultados para a empresa. Ao priorizar os produtos da Curva A, você estará dando saída para os itens de maior retorno.

Além disso, com a classificação, é possível verificar custos desnecessários com itens que não vão gerar resultado em um primeiro momento. E sim, a técnica permite que você avalie questões como giro de estoque e estoque crítico de uma forma mais bem direcionada.

E sim, a Curva ajuda a identificar quais produtos devem ser colocados em promoção, com o intuito de evitar que eles fiquem “encalhados” no estoque, evitando excessos desnecessários.

Como montar a Curva A…

Para incluir produtos na Curva A, é necessário ter a noção de que é nesse grupo que são inseridos os produtos mais importantes da empresa. Nesse caso, aplica-se a regra 80 – 20, ou seja, 20% do total de produtos, correspondente a 80% do total de vendas.

Exemplo:

Se a sua loja possui 500 produtos cadastrados e alcança um total mensal de R$ 25.000,00 em vendas, 20% desses produtos (100) devem corresponder a 80% da sua receita (R$ 20.000,00).

Como montar a Curva B…

Na curva B, incluímos os itens de custo e valor medianos. Aqui temos 30% do total de produtos, correspondendo a 15% do seu faturamento.

Exemplo:

Seguindo os dados do exemplo anterior, teríamos: 500 produtos cadastrados e 30% corresponderia a 150 produtos. O valor desses produtos seria R$ 3.750,00. Perceba como o valor fica bem abaixo da Curva A.

Como montar a curva C…

Por fim, temos a Curva C. Os itens de menor importância em seu estoque correspondem a 50% do total de produtos e 5% de todo o faturamento da loja.

Exemplo:

Ainda no mesmo exemplo, teríamos 250 produtos e eles apresentariam um valor de R$ 1250,00. Bem abaixo das curvas A e B.

Use os dados a favor do seu negócio…

Com essa organização, seu controle de estoque ganhará muitos pontos, em termos de eficiência. Ao ter uma noção das prioridades, será possível montar estratégias de gestão de estoque ainda mais eficientes.

Além disso, você terá uma base para direcionar melhor os seus esforços de divulgação, dando ênfase aos itens da Curva A.

Cabe destacar também que a técnica da Curva ABC pode ser aplicada a clientes também. Pois é! A forma de organizar é a mesma. Isto é, você poderá classificar os clientes em função do retorno que ele geram para a sua empresa. Daí, você teria:

  • Clientes da Curva A: correspondem a 80% da sua receita;
  • Clientes da Curva B: correspondem a 15% da sua receita;
  • Clientes da Curva C: correspondem a 5% da sua receita.

Com base nessa segregação, você poderá criar estratégias de fidelização mais precisas, dando maior atenção aos Clientes da Curva A. Isso favorece a personalização dos atendimentos ao máximo.

E sim, é bom lembrar que os dados que serão utilizados para a formação da Curva ABC devem ser sólidos. Portanto, investir em sistemas ERP sempre será uma boa ideia.

Curva ABC: agora é só aplicá-la…

Apesar de parecer complexa, em um primeiro momento, a Curva ABC pode ser entendida de forma simples, especialmente com exemplos práticos, assim como foi feito neste post.

Tendo bons dados para usar como base, as suas classificações poderão ser feitas de uma forma bem eficiente, garantindo assim bons resultados para os seus controles e sua organização.

Como agora você já sabe como montar a sua Curva ABC o ideal é avaliar o seu negócio, coletar os dados e dar início à sua organização. Considere dados sólidos em suas análises e os resultados obtidos serão muito benéficos para a sua empresa.

Posts Relacionados

Sem comentários

    Deixe um comentário